Esta Senhora, de nome Rosa Joaquina, casou e não teve filhos mas foi mãe e foi avó. Em 1918, a epidemia denominada  pneumónica ceifou a vida a meus avós maternos que deixaram órfãs minha mãe e minha tia, ainda crianças de tenra idade. Foi esta Senhora quem as criou, educou e lhes deu tudo o que tinha para dar.
Em 1960 encontrava-me em Macau, quando ali tão longe e sem poder partilhar a dor tive notícia da sua morte. Eu adorava aquela Santa cuja imagem estava gravada na minha memória. Para me consolar, tentei reproduzi-la. Sentada no seu banquinho, eu via-a na minha frente e à medida que o seu rosto transparecia nesta tela, recordava as suas histórias, lindas de encantar e parecia sentir ainda as suaves carícias das suas mãos enrugadas. Misturadas na tinta com que pintei este quadro estão muitas das minhas lágrimas. À sua memória aqui fica a minha sentida homenagem.........Regressar à página anterior