COMO DA TERRA SE RETIRAVA O NOSSO SUSTENTO

No campo trabalhava-se desde o nascer do Sol até ao toque das Avé Marias que tinha lugar um pouco depois do Sol posto.
As tarefas mais exigentes em esforço começavam a fazer-se a partir do mês de Março e prolongavam-se pela Primavera e Verão, precisamente na época do ano em que os dias são maiores e o calor aperta.
Comiam-se então cinco refeições diárias: mata-bicho (de manhã em casa ); Almoço ( a meio da manhã, no campo - meia hora para almoçar; jantar ( ao meio dia no campo - uma hora para jantar, na altura em que não havia sesta - duas horas na altura da sesta); merenda (a meio da tarde, no campo - um quarto de hora para merendar); ceia (à noite em casa)
A sesta começava no Domingo de Pascoela, também conhecido por Dia de Bom Verão (Domingo seguinte ao de Páscoa) e terminava a oito de Setembro.
As Avé Marias eram tocadas pelo Sacristão no sino da Igreja duas vezes por dia: uma um pouco antes do nascer do Sol; outra um pouco depois do Sol posto. Eram constituídas por dez badaladas, espaçadas de três a três, mais uma no fim.
Muitos respeitados homens, quando soava o toque das Avé Marias, largavam o trabalho, tiravam o barrete, punham os joelhos em terra, benziam-se e rezavam a sua oração. José Sobrinho/1996.
Fim deste tema. Segue-se chafarizes