OS CHAPINS

   
Num passado ainda não muito distante, existiam, nesta região do concelho de Caldas da Rainha, muitos olivais que eram povoados por uma enorme variedade de chapins.
Estes faziam os seus ninhos nos buracos existentes nos troncos das seculares oliveiras e aí criavam as suas proles.
Depois o olival deixou de ser rentável e, uma a uma, as oliveiras terminaram nas lareiras das nossas habitações.
Com o desaparecimento do olival, desapareceram também praticamente os chapins.
Perdeu-se ainda toda uma tradição ligada à faina da colheita da azeitona, que tinha os seus rituais próprios, tais como o uso do "corno" e do búzio, como instrumentos musicais de sopro; e o lançamento da "pulha", declamação duma quadra satírica improvisada, bem ao estilo das ancestrais cantigas de escárnio e maldizer.